Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Procura-se título para este post... que não diga cocó...

Na semana passada tive que fazer e entregar um trabalho do curso num timing muito apertado.
Foi uma pressão enorme e muito trabalhoso.
Como aqui a "Je" é flor de estufa, qualquer coisinha a deita abaixo, no dia seguinte à entrega do trabalho, não me consegui levantar da cama! Dores no corpo todo, um cansaço inexplicável e a cabeça mais zonza do que quando bebia 4 vodkas numa noite... (Família, esta parte não é preciso ler!)
No dia seguinte ao seguinte apanhei uma cena qualquer marada, ou uma virose, ou uma stressose, ou uma cansaditose ou o raio que o parta que me deixou a vomitar e a fazer aquelas outras coisas que fazemos quando apanhamos viroses, aquelas que nos obrigam a ir muitas vezes à casa de banho. (Caganeira! Soltura! Diarreia! O que quiserem chamar!)
Passei um fim de semana no wc!
No fim de semana passado fui ao Alentejo, neste fui ao WC!
Ai que romântico, sei lá! Fica ali pós lados do oeste!.... Chique!
Hoje, segunda-feira, já sem cagar desde ontem de manhã, (Não…
Mensagens recentes

Back to school... Cruz Vermelha Portuguesa

Há uns anos valentes, ainda no século passado, tirei o curso de enfermagem. Naquele tempo ainda era Bacharelato. 3 anos de muito trabalho em Coimbra, muito estudo, mas que valeram a pena.
Era enfermeira. Com 21 anos. Uma menina.
De tal modo menina que demorei a dar resposta ao "Srª Enfermeira". Nunca ninguém me tinha tratado por "senhora" antes.
A 17 de Março de 1997 (já com os 22), lá estava eu a entrar no IPO.
O Hospital de Palhavã!
O Hospital do Cancro, onde tantos anos antes tinha ido às consultas com a minha avó, mas isso é outra história.
O Hospital tão temido por tanta gente.
Local de tanto trabalho e sofrimento... Ali estava eu, menina-mulher, com a minha farda e sapatos de curso, a entrar no mundo dos crescidos.
Entrei a pensar ficar 2 anos e lá vão 22, metade da minha vida... Nos primeiros tempos, saí de lá sempre a chorar.
Ninguém nos prepara para aquela imensidão de sentimentos, de cuidar do outro duma maneira tão intensa, em fases tão difíceis e tão…

Cenas de 2018...

Entre muitas as coisas que ocorreram este ano, 2018 foi o ano que consegui, finalmente, vender o apartamento de Loures que estava empatado há quase 10 anos!
Foi um parto difícil, sofrido até ao último dia!
Há 10 anos encontramos a casa onde vivemos ainda hoje e decidimos colocar a outra à venda, foi na altura que o mercado imobiliário deu o berro e as taxas e spread's dispararam, isso associado à incompetência da agente imobiliária que arranjei na altura e a casa ficou empatada.

Entretanto deu jeito para família a estudar em Lisboa, depois para um amigo de família, depois para outro, e a minha procrastinação junto do péssimo mercado manteve-me a empurrar com a barriga uma situação que me dava mais despesa do que outra coisa.
Há 3 anos decidi alugar a casa. Gastei algum dinheiro em arranjos, pinturas, limpezas, porque apesar de habitada parecia um pardieiro!
Com a ajuda dum amigo de escola no ramo imobiliário consegui alugar a casa num instante. Não é que seja para fazer publicida…

Balanço de 2018... O diagnóstico de Fibromialgia

Chega a esta altura do ano e torna-se quase obrigatório fazer o balanço do ano que passou.
2018 foi um misto de emoções e contradições.
Encerrar de ciclos, levar com notícias do tipo de levar com um camião Tir pela mona abaixo, início de ciclos e por aí fora.

O ano começou com uma tendinite calcificante do grande peitoral com ruptura do tendão do peitoral que já aqui descrevi e que me obrigou a parar por alguns dias.
Na altura percebi que o meu corpo me estava a alertar para alguma coisa, para prestar atenção a mim mesma e prestei, mas não o suficiente para perceber O Porquê!
Passadas as dores da tendinite ficaram as dores nas costas e nas ancas. Dores para esquecer, daquelas que não lembram ao diabo, dores que só suportei sob medicação fortíssima.
Ora faz TAC, ora faz RX, ora faz Ressonância Magnética.
O resultado era idêntico.
"Não tem motivo nenhum para essas dores!!"
"Não anda mais nervosa?"
Até que comecei a duvidar da minha sanidade mental!
Estaria a construi…

HOMEWORK...

Contrariamente a tudo o que sempre tenho dito, este fim-de-semana estive a trabalhar em casa.
Teve mesmo que ser.
Ou isso ou falhava com prazos, e isso eu não gosto.
No trabalho tenho pouco tempo para preparar apresentações, fazer folhetos para formações, etc.
Habituei-me a separar os trabalhos conforme estou num serviço ou noutro, o que acontece é que fazer coisas enquanto estás sempre a ser interrompida para atender pessoas, não dá rendimento. Não dá mesmo. Sou muito polivalente, mas não consigo.
Ao final de alguns anos sem o fazer, este fim de semana trouxe trabalho para casa.
Está feito.
E o fim de semana foi-se.
Sente-me para descansar às 18h!
E é isto!

BACK TO BLOG...

...acho que nunca tinha estado tanto tempo sem escrever aqui...


mudanças de rotinas,
deixei de me deitar perto da meia noite para passar a estar a dormir, no máximo, às dez da noite!
só um computador em casa para toda a família, 
com o final do 12º ano do Miguel o computador era mais requisitado por ele, depois entrou de férias e passou a monopolizar o computador para jogos, entretanto foi estudar e passou a levar o computador com ele! Ah e tal, hoje em dia faz-se tudo nos telemóveis! Pois faz, mas demoro o triplo do tempo a escrever, a minha aplicação da Blogger deve ter um bug qualquer que não me deixa carregar fotos e às vezes quero gravar e apaga tudo! E estas diarreias mentais só saem uma vez! Depois obstipo!
deixei os transportes públicos,
depois de 2 pneumonias no mesmo inverno e vários meses seguidos sempre doente, optei por passar a ir de carro! A despesa é maior, mas o descanso não tem preço, nem a saúde! Passei a ir mais cedo para Lisboa, daí deitar-me com as galinhas, mas che…

A minha sorte com a Eurovisão...

Sabes quando perdes uma boa oportunidade para estar calada e depois tens vontade de ter mordido a língua em vez de ter dito baboseiras? ....
Eu sei.
Festival Eurovisão da Canção 2018
Antes de começar e sabendo que Israel era uma das canções favoritas, (nunca pensando que ganhasse realmente) , prometi frente à minha família que se a canção de Israel ganhasse comprava um daqueles gatos dourados chineses que abanam o braço!
Israel ganhou!
Não sei sequer como é que chegou à final, mas isso sou eu que pelos vistos não tenho gosto musical nenhum!
Quer dizer, a música até entra bem no ouvido, agora a letra.... Não, não entra nem a martelo!!! E a imagem dela a dançar a dança da galinha também não, não entra bem nos olhos...
Mas adiante que não sou crítica de canto! Nem tenho ouvido prá música!
Esta semana tenho que comprar o dito gato de louça!
A minha filha não se cala que quer o gato dourado.
O filho e marido só me gozam!
Fui pesquisar e diz que se chama Maneki Neko e é o gato da …