Avançar para o conteúdo principal

Adeus avó... Parte II (by Teresa Canhoto Carvalho)


Tens umas netas muito dadas à escrita e a Teresa escreveu um texto tão lindo para te ler na tua despedida na igreja que ñ posso deixar de o publicar aqui, pois enriquece em tudo aquilo que escrevi! Quem te conheceu vai reconhecer cada gesto e palavra que ela aqui descreve.
Beijos avó...

"Então minina? Tudo fixê?"
Era assim que me cumprimentava, sempre que eu chegava à sua casa... e lá estava a avó sentada no sofá, com o cigarrinho na boca, enquanto fazia os seus quilómetros de renda e arraiolos.
Ai as saudades que eu tenho.... daquela cozinha enorme, com a mesa no meio... de correr com os meus primos à volta da mesa enquanto a avó fazia bolos;
De nos sentarmos dentro da lareira até a cara queimar;
Do natal na sua casa, com pinheiros que chegavam até ao tecto...
Das noitadas a vê-la fazer alheiras e farinheiras com a minha mãe e a tia;
Das noites de Verão na varanda, que enquanto os cigarros não acabassem, a conversa não podia acabar. Também não tinha como acabar, eram tantas e tantas as histórias do monte, as histórias de Moçambique e as histórias das suas traquinices com os seus irmãos; umas histórias eram novas e outras já repetidas, mas todas elas provocavam barrigadas de riso... ai as suas gargalhadas.....
...e os seus cozinhados!!! Uiiii... Sempre hipercaloricos e gordurosos! Deve ser daí que vêm os valores que eu tenho de colesterol e trigliceridos... mas que bem que aquilo me sabia! A batata doce assada na lareira; o pastelão; as torradas a pingar manteiga...  o papo-seco com manteiga e carradas de "txuquela" por cima (light portanto);

E os seus licores? Oh gód.... principalmente o de morango que fazia a delícia do Natal dos mais novos, quando vocês nos mandavam para a outra sala... e as bainhas de grão que nunca mais comi nenhumas iguais às que a avó fazia;
Ai vó, tenho saudades até das vezes que se passava connosco e nos metia de castigo, trancava-nos no quintal com trinchas na mão e um balde de tinta... e dizia "só saiem daí quando o quintal estiver todo pintado de branco!" Mas dizia isto a rir... sem credibilidade nenhuma!!! Porque na verdade, não nos conseguia dar raspanetes nenhuns, e no final do serviço tínhamos um mega lanche à nossa espera!

Tenho saudades.
Tenho saudades da minha avó!
Saudades das danças e das valsas, de a ouvir cantar o "Olarilolelaaaaa... lá de São Romão";
E das histórias de bruxas e mistérios que me contava à noite, que eu fingia que não me metiam medo.... mas a verdade é que ficava a noite toda acordada... enquanto ouvia a sinfonia do seu ressonar!
Saudades de a ver a fumar um maço inteiro de Surf entre as 23:30h e as 4:00h, do fumo todo que ficava à sua volta e das cinzas inteiras em formato Torre Pisa, mas sempre com a sua pose imponente, ao estilo de "África minha".
As suas mezinhas, devoções e crenças, que dizia serem infalíveis...
Saudades da liberdade que me deu quando vinha passar férias a Alcácer, longe da protecção dos meus pais... sem os perigos da cidade, sem horários e sem obrigações... e de irmos andar de tractor até ao monte... imperdível!

Tenho saudades dos seus coelhos - o pior era quando nos mandava limpar a casinha deles....;
Saudades da bananeira, do "tomate maracujá" e do chá de "doce e lima" do seu quintal - aquele chá fazia milagres e curava todos os nossos males, até mesmo os males de amor!
Saudades dos banhos de mangueira e das piscinas improvisadas nos tanques de hidrocultura do avô;
Das moedas para as "xuingams", que nos dava, só para ter uns minutos de descanso enquanto íamos ao "papagaio" comprar;
Das gargalhadas... das suas... e das nossas!

Tenho saudades das suas loucuras, invenções e devaneios... e quando andou de cabelo cor de rosa? Ahahahha resultado de mais uma fantástica compra na loja do chinês... Isto para não falar dos seus dotes e jeitinho para o design de interiores!!! Ok... Não vou comentar esta parte!!

Ai vó...
Podia ficar aqui todo o dia a relembrar... mas temos de nos despedir...
Parece que desta vez é que é mesmo.... tinha de ser, era egoísmo nosso querê-la perto de nós. No sábado senti isso quando a vi e lhe toquei pela última vez.
Obrigada avó.... obrigada por todos e tantos bons momentos, recordações e aprendizagens.

Um grande beijinho Fernandinha, agora que está finalmente com os seus três filhos.... leve um abraço bem apertado para todos os que já aí estão convosco! Tenho saudades deles também.... a casa por aí está a ficar cheia, como a avó tanto gostava!!!

Até lá....
"Goodbye q'eu good fico"
✨❤️✨
Teresa

Maria Fernanda Pereira Lince Canhoto
13-01-1931  -  12-09-2017

Comentários

Mensagens populares deste blogue

BACK TO BLOG...

...acho que nunca tinha estado tanto tempo sem escrever aqui...


mudanças de rotinas,
deixei de me deitar perto da meia noite para passar a estar a dormir, no máximo, às dez da noite!
só um computador em casa para toda a família, 
com o final do 12º ano do Miguel o computador era mais requisitado por ele, depois entrou de férias e passou a monopolizar o computador para jogos, entretanto foi estudar e passou a levar o computador com ele! Ah e tal, hoje em dia faz-se tudo nos telemóveis! Pois faz, mas demoro o triplo do tempo a escrever, a minha aplicação da Blogger deve ter um bug qualquer que não me deixa carregar fotos e às vezes quero gravar e apaga tudo! E estas diarreias mentais só saem uma vez! Depois obstipo!
deixei os transportes públicos,
depois de 2 pneumonias no mesmo inverno e vários meses seguidos sempre doente, optei por passar a ir de carro! A despesa é maior, mas o descanso não tem preço, nem a saúde! Passei a ir mais cedo para Lisboa, daí deitar-me com as galinhas, mas che…

Dia cheio de dores e remédios...

As dores nas costas estão cada vez piores...E eu não tenho feitio para sofrer! Não sou anti-medicação! Se existe e eu preciso, venha ela!!! Com conta, peso e medida, claro está! Mas se me dói a cabeça, eu não espero que passe, eu tomo um comprimido qualquer! Qualquer, não! Normalmente é Paracetamol efervescente, que me faz efeito, se não resulta, vai um Brufen e ficamos por aí! Agora as dores nas costas não vão lá com Paracetamois, nem brufens! Ando há mais de uma semana com voltaren (já fiz 3 dias de injeções no rabo!!!) e com Adalgur (tem paracetmol e relmus) e melhoro um dia e vou trabalhar, pioro logo a seguir e fico mais dois dias em casa, descanso, melhoro um bocadinho, vou trabalhar. Ainda antes de lá chegar já me arrependi de ter ido! Com o caminho e transportes (autocarro, metro e comboio...)  E se me dói e eu não estou bem, eu vou ao médico! Também não fico à espera que passe! Por isso hoje foi de tudo! Fui ao médico para me dar algo que me alivie mais as dores! Consegui marcar Ress…

HOMEWORK...

Contrariamente a tudo o que sempre tenho dito, este fim-de-semana estive a trabalhar em casa.
Teve mesmo que ser.
Ou isso ou falhava com prazos, e isso eu não gosto.
No trabalho tenho pouco tempo para preparar apresentações, fazer folhetos para formações, etc.
Habituei-me a separar os trabalhos conforme estou num serviço ou noutro, o que acontece é que fazer coisas enquanto estás sempre a ser interrompida para atender pessoas, não dá rendimento. Não dá mesmo. Sou muito polivalente, mas não consigo.
Ao final de alguns anos sem o fazer, este fim de semana trouxe trabalho para casa.
Está feito.
E o fim de semana foi-se.
Sente-me para descansar às 18h!
E é isto!