Adeus... Até um dia...

Lembro-me de ti!
Lembro do teu cheiro, um misto de tabaco com outra coisa qualquer!
Ninguém tinha uma avó fumadora! Eu tinha!
Eras tão engraçada, tão gozona, tão divertida!
Lembro tão bem das tuas gargalhadas, mais parecia que estavas a ficar sem ar,
Lembro de andares pela casa a cantarolar meio a assobiar de um jeito que não consigo imitar,
De fumares com um braço apoiado por baixo das mamas e o outro por cima de maneira à mão com o cigarro estar sempre perto da boca, e o cigarro chegava ao fim com um arco de cinza pegada ao filtro bem equilibrado! Não sei como conseguias...
Lembro de ficares na conversa até de madrugada,
De acordarmos ao meio-dia e fazeres umas batatas meio fritas com ovos, era a melhor coisa do mundo para pequeno almoço,
Ninguém tinha avós a acordar ao meio dia! Eu tinha!
Lembro-me do cheiro a sabonete Fá na casa de banho dos azulejos verdes!
Lembro-me da cozinha enorme antes das obras e de comer presunto à mesa contigo e com o avô!
Lembro-me que me davas nestun misturado no leite antes de ir para a cama! Ainda hoje adoro beber leite com um bocadinho de nestun antes de dormir e acho que só hoje é que lembrei do porquê! Lembro-me de comer cerelac às colheres em pó!
Lembro-me dumas férias que uma cadela teve cachorros e que eu me senti a pessoa mais felizarda do mundo por ter aqueles cachorros todos para mim! Parece que sinto o cheiro deles, cheiro a leite e a lenha queimada da lareira! Não sei se eram pastor-alemão mas acho que sim...
Lembro-me de teres coelhos e de termos vacinado os coelhos todos... Foste tu que me ensinaste a dar vacinas, eu a pensar que tinha sido no curso de enfermagem! Lembro-me de ter ido sair à noite com uns primos e ter chegado a casa de manhã e de me teres acordado às 4 da tarde com um lanche feito e dizeres para não dizer nada ao meu pai nem às tias porque eles não entendiam a malta nova!
Ninguém tinha uma avó com um espírito tão jovem! Eu tinha!
Lembro-me de irmos para o monte contigo a conduzir o jipe,
Ninguém tinha uma avó a conduzir Land Rover's ! Eu tinha!
Lembro-me da tua pele morena, da forma das tuas mãos,
Lembro-me do teu péssimo gosto para combinar roupa! Das cinturas subidíssimas!
Lembro-me do teu andar, com calma! Fazias tudo com calma!
Não me consigo lembrar de ti chateada ou zangada com alguma coisa!
Estava sempre tudo bem.
Deves ter sido tu que ensinaste estes coach's todos da moda! Ando eu a ler livros e a seguir o que têm a dizer, quando a minha avó tinha tanto para me ensinar...

Quase tudo o que me lembrei, lembrei-me hoje!
Memórias guardadas que resgatei depois de partires. Cheiros que senti depois de nos deixares...
Partiste hoje, mas já tinhas verdadeiramente partido há muito tempo...
O teu corpo teimou em ficar, mas tu partiste no dia que o meu pai partiu... Não suportaste continuar a viver sem o teu menino... E ele não te deixou ficar, o teu coração foi com ele há 7 anos...
Eras a minha última avó... Há vinte e tal anos que eras a única das avós e avôs.
E hoje perdi-te.
Hoje arranjei o tempo que nunca tinha para te visitar. Hoje Visitei-te. Desculpas já não servem para nada agora.
Guardarei para sempre a tua imagem, não a de hoje, mas a divertida e bem disposta! Adeus...
Vamos falando...

Comentários

Menta disse…
Que lindo, Mónica! Que linda homenagem à sua avó! Comoveu-me e a lágrima saltou. São marcas, marcas, muitas marcas...São encantadoras marcas que não doem mas que ficam registadas, de uma forma maravilhosa, no álbum das suas memórias. Que bom seria se todos os netos recordassem, dessa forma, os seus avós. Adorei.
Isabel Tavares disse…
Lindo Mónica, es linda por fora e por dentro.❤❤❤
Ricardo Carvalho disse…
Prima, o texto parece um filme de memórias... beijo grande
MÓNICA disse…
Obrigado a todos pelas palavras de apoio! Beijinhos

Mensagens populares deste blogue

O dia em que nasci...novamente...

"Recado" com 20 anos que me fez tão feliz... "As Minhas Super Enfermeiras"