Avançar para o conteúdo principal

O dia em que nasci...novamente...

Foto: Google
O último mês foi talvez um dos mais difíceis que passei até hoje! Apanhei o susto da minha vida!
Senti que Deus, O Universo, essa Força Suprema que nos rodeia, me deu uma oportunidade e uma nova avença para mais 42 anos, pelo menos! 

Sou optimista por regra, mas extremamente fatalista excepcionalmente!
E comecei a ver a minha vidinha a andar para trás, muito rapidamente! 

Felizmente acabou tudo bem, mas podia ter acabado tudo muito mal e muito rápido!

Tudo começou com uma pneumonia em Janeiro que me apanhou forte e feio! Duas semanas em casa e apesar de ter ficado sem febre as dores mantinham-se, o cansaço era mais do que muito, uma sensação de aperto no peito, resumindo, estava um cocó!
Três Rx ao tórax depois e lá fui fazer um TAC.
Quando li o relatório, fiquei bloqueada numa palavra, "nódulo"! Já não li, nem vi mais nada! Não ouvi nada do que me disseram nessa altura. Parecia que tinha um bloqueio auditivo, ouvia os outros falarem comigo como se estivesse dentro de água!
Depois pensava:
_Isto é daquelas coisas que só acontece aos outros!
Mas um outro eu respondia:
_Isto acontece a todos!

_Não, não é possível! Isto não me vai acontecer a mim!!
_Isto já te aconteceu a ti, lembras-te?

_mas se já aconteceu ao meu pai, não me vai calhar a mim também!
_sim, mas há uma forte tendência hereditária

_mas o meu pai fumava muito!
_mas tu também fumaste muito até há 5 anos!

_mas não é justo!
_O cancro é injusto!

Este diálogo interno ocorreu no caminho do meu gabinete para o gabinete do pneumologista, entre outras coisas que passavam em turbilhão pela minha cabeça...

Decidimos fazer um exame simpático!
Broncofibroscopia.
Felizmente com sedação, mas acordei a achar que tinha tido a mangueira do quintal a passar-me dentro do nariz.

Depois só podia esperar pelos resultados!
Todos os momentos pensava que podia ser muito mau, ao mesmo tempo afastava as ideias e pensava nas coisas que me faziam crer que estava tudo bem! Afinal, não perdi o apetite, nada me tira o apetite! Não emagreci nada, até engordei porque como de tudo e não tenho feito as minhas corridas! 

Mas, podia não estar tudo bem...
Ó meu Deus, e os meus meninos!
Tinha que estar tudo bem...
E se tiver que fazer Quimioterapia? 
...e o cabelo...
E se já não valer a pena fazer... 
...se já tiver muito avançado...
Revivi todo o percurso da doença do meu pai durante estes dias. Fiz a broncofibroscopia no dia em que fazia 7 anos que tinha recebido a notícia que ele tinha um cancro do pulmão.
Nesse dia chorei muito, já em casa, sozinha! Mas também lhe pedi que, esteja onde estiver, que meta uma cunha para não me chamarem já!
Gozei o carnaval o melhor que consegui. Muito cansaço e intolerância a espaços com fumo, mas o tempo ajudou bastante e passei grande parte do tempo na rua.

Depois do carnaval, o Veredicto!
Parece que a bactéria que me provocou a pneumonia era resistente aos antibióticos que tomei em Janeiro, daí os sintomas difíceis de passar. O ânimo subiu e a esperança que fosse só isso também.
Mais 4 dias de incerteza e o relatório veio "Negativo para células neoplásicas". Foram as palavras mais lindas que já li!
Senti uma descarga de energia no corpo todo que não consigo explicar a sensação! Tinha vontade de dizer a toda a gente que não tinha cancro nenhum!
Mas pouca gente sabia.
Obrigada a todos os que me apoiaram durante esta incerteza.
Obrigada ao meu marido por me ter acompanhado e apoiado imensamente, com muito carinho e muitos miminhos!
Obrigada mamã por teres tomado conta da piolhita!
Obrigada às minhas queridas amigas que me acompanharam e visitaram enquanto eu fiz o exame, e ainda me gozaram dos disparates que disse! Obrigada mesmo.
Obrigada ao pneumologista que encaminhou a situação à velocidade da luz.
Obrigada à vida por esta nova oportunidade de vivê-la o mais intensamente possível, cada dia melhor. Fazer tudo para ser melhor a cada dia, melhor do que fui ontem.
Obrigada!
Hoje faço 42 anos e nasci outra vez!

Comentários

Anónimo disse…
Quase chorei a ler estas palavras tão bem escritas.Uma lágrima rolou.Fico muito feliz que tudo tenha terminado bem.Gosto muito de ti Móny.Muitas felecidades para ti e para toda a tua família.Viva a Vida!!!!!!.........e o Carnaval .....ITavares
Aproveita a vida com esse sorriso lindo que tens! Viver cada momento como se fosse o último!
MÓNICA disse…
Obrigada. Viva a vida. Muitos beijinhos.
MÓNICA disse…
Obrigada. Muitos beijinhos.
CG disse…
Estou muda e de olhos encharcados. Bj grande
Célia Galego
MÓNICA disse…
Já passou minha querida!!! Beijinhos

Mensagens populares deste blogue

BACK TO BLOG...

...acho que nunca tinha estado tanto tempo sem escrever aqui...


mudanças de rotinas,
deixei de me deitar perto da meia noite para passar a estar a dormir, no máximo, às dez da noite!
só um computador em casa para toda a família, 
com o final do 12º ano do Miguel o computador era mais requisitado por ele, depois entrou de férias e passou a monopolizar o computador para jogos, entretanto foi estudar e passou a levar o computador com ele! Ah e tal, hoje em dia faz-se tudo nos telemóveis! Pois faz, mas demoro o triplo do tempo a escrever, a minha aplicação da Blogger deve ter um bug qualquer que não me deixa carregar fotos e às vezes quero gravar e apaga tudo! E estas diarreias mentais só saem uma vez! Depois obstipo!
deixei os transportes públicos,
depois de 2 pneumonias no mesmo inverno e vários meses seguidos sempre doente, optei por passar a ir de carro! A despesa é maior, mas o descanso não tem preço, nem a saúde! Passei a ir mais cedo para Lisboa, daí deitar-me com as galinhas, mas che…

Dia cheio de dores e remédios...

As dores nas costas estão cada vez piores...E eu não tenho feitio para sofrer! Não sou anti-medicação! Se existe e eu preciso, venha ela!!! Com conta, peso e medida, claro está! Mas se me dói a cabeça, eu não espero que passe, eu tomo um comprimido qualquer! Qualquer, não! Normalmente é Paracetamol efervescente, que me faz efeito, se não resulta, vai um Brufen e ficamos por aí! Agora as dores nas costas não vão lá com Paracetamois, nem brufens! Ando há mais de uma semana com voltaren (já fiz 3 dias de injeções no rabo!!!) e com Adalgur (tem paracetmol e relmus) e melhoro um dia e vou trabalhar, pioro logo a seguir e fico mais dois dias em casa, descanso, melhoro um bocadinho, vou trabalhar. Ainda antes de lá chegar já me arrependi de ter ido! Com o caminho e transportes (autocarro, metro e comboio...)  E se me dói e eu não estou bem, eu vou ao médico! Também não fico à espera que passe! Por isso hoje foi de tudo! Fui ao médico para me dar algo que me alivie mais as dores! Consegui marcar Ress…

HOMEWORK...

Contrariamente a tudo o que sempre tenho dito, este fim-de-semana estive a trabalhar em casa.
Teve mesmo que ser.
Ou isso ou falhava com prazos, e isso eu não gosto.
No trabalho tenho pouco tempo para preparar apresentações, fazer folhetos para formações, etc.
Habituei-me a separar os trabalhos conforme estou num serviço ou noutro, o que acontece é que fazer coisas enquanto estás sempre a ser interrompida para atender pessoas, não dá rendimento. Não dá mesmo. Sou muito polivalente, mas não consigo.
Ao final de alguns anos sem o fazer, este fim de semana trouxe trabalho para casa.
Está feito.
E o fim de semana foi-se.
Sente-me para descansar às 18h!
E é isto!