Avançar para o conteúdo principal

Crianças que não fazem birras

Cada vez me apetece mais escrever, tenho mais ideias a fervilhar na cabeça, mas menos tempo para as vir aqui escrever. Também tenho cada vez mais coisas que quero ler!
A cabeça anda a mil, e o corpo não acompanha e ressente-se da falta de férias e de paz!
A piolha não tem sido fácil de aturar e na semana passada, depois de uma birra fenomenal, comprei um livro que já me tinha chamado a atenção, "As Crianças Francesas Não Fazem Birra" de Pamela Druckerman, e estou a adorar! No site da WOOK dá para ler o início do livro! Além de educativo, é engraçadíssimo!
A escritora é uma americana que foi viver para Paris e notou que as crianças francesas não faziam as mesmas cenas que os filhos das suas amigas americanas! Que a vida dos casais franceses não se focava exclusivamente em satisfazer os caprichos dos seus "enfants"! Que era possível ter conversas civilizadas junto de crianças que se entretinham a brincar sozinhas em vez de estarem permanentemente a puxar a saia da mãe em busca de atenção, ou a interromper conversas ao telefone, ao ponto de as mães terem que adiar as conversas para quando as crianças dormissem! Isto levou esta americana a investigar as famílias parisienses em busca de respostas!
Foto: www.wook.pt
Ainda vou a meio, e tirando a parte de fazer os bebés dormirem a noite toda, (os meus sempre dormiram), descobri que ando a fazer muita coisa mal! O principal que tirei do livro até agora foi que é preciso ensinar as crianças a esperar, sem dramas! E a minha não sabe! Mal abre a boca a pedir, repete logo de seguida, tipo metralhadora, o mesmo pedido 10 vezes, no mínimo! E de quem é a culpa? De quem não a habituou a saber esperar de pequenina! Minha culpa, e do pai!
Se é possível ela mudar aos 3 anos e 3 meses?
É!
Se vai ser fácil?
Não!
Se me vai deixar de cabelos em pé?
Sim, muitas vezes!
Se vou desistir?
Não!

Comentários

Sandra Simões disse…
:) Como tudo, requer reforço, persistência e firmeza, sempre com muito amor. Não te recrimines, tens feito o que consegues, o teu melhor. Tenho a certeza que conseguirás orientá-la no seu crescer de forma brilhante. Um dia ela agredecer-te-á os 'nãos', os 'já vai', os 'depois veremos'...
Um grande beijinho nesse coração delicioso. Outro na piolha que veio à tua vida para te mostrar um novo mundo em ti ;)
MÓNICA disse…
Sem recriminações.
Mesmo que tenha agido mal, foi o que me pareceu melhor na altura!
Cada vez mais adopto esta postura para quase tudo!
É mais leve...
Beijos e obrigada
lobe iu

Mensagens populares deste blogue

BACK TO BLOG...

...acho que nunca tinha estado tanto tempo sem escrever aqui...


mudanças de rotinas,
deixei de me deitar perto da meia noite para passar a estar a dormir, no máximo, às dez da noite!
só um computador em casa para toda a família, 
com o final do 12º ano do Miguel o computador era mais requisitado por ele, depois entrou de férias e passou a monopolizar o computador para jogos, entretanto foi estudar e passou a levar o computador com ele! Ah e tal, hoje em dia faz-se tudo nos telemóveis! Pois faz, mas demoro o triplo do tempo a escrever, a minha aplicação da Blogger deve ter um bug qualquer que não me deixa carregar fotos e às vezes quero gravar e apaga tudo! E estas diarreias mentais só saem uma vez! Depois obstipo!
deixei os transportes públicos,
depois de 2 pneumonias no mesmo inverno e vários meses seguidos sempre doente, optei por passar a ir de carro! A despesa é maior, mas o descanso não tem preço, nem a saúde! Passei a ir mais cedo para Lisboa, daí deitar-me com as galinhas, mas che…

Dia cheio de dores e remédios...

As dores nas costas estão cada vez piores...E eu não tenho feitio para sofrer! Não sou anti-medicação! Se existe e eu preciso, venha ela!!! Com conta, peso e medida, claro está! Mas se me dói a cabeça, eu não espero que passe, eu tomo um comprimido qualquer! Qualquer, não! Normalmente é Paracetamol efervescente, que me faz efeito, se não resulta, vai um Brufen e ficamos por aí! Agora as dores nas costas não vão lá com Paracetamois, nem brufens! Ando há mais de uma semana com voltaren (já fiz 3 dias de injeções no rabo!!!) e com Adalgur (tem paracetmol e relmus) e melhoro um dia e vou trabalhar, pioro logo a seguir e fico mais dois dias em casa, descanso, melhoro um bocadinho, vou trabalhar. Ainda antes de lá chegar já me arrependi de ter ido! Com o caminho e transportes (autocarro, metro e comboio...)  E se me dói e eu não estou bem, eu vou ao médico! Também não fico à espera que passe! Por isso hoje foi de tudo! Fui ao médico para me dar algo que me alivie mais as dores! Consegui marcar Ress…

HOMEWORK...

Contrariamente a tudo o que sempre tenho dito, este fim-de-semana estive a trabalhar em casa.
Teve mesmo que ser.
Ou isso ou falhava com prazos, e isso eu não gosto.
No trabalho tenho pouco tempo para preparar apresentações, fazer folhetos para formações, etc.
Habituei-me a separar os trabalhos conforme estou num serviço ou noutro, o que acontece é que fazer coisas enquanto estás sempre a ser interrompida para atender pessoas, não dá rendimento. Não dá mesmo. Sou muito polivalente, mas não consigo.
Ao final de alguns anos sem o fazer, este fim de semana trouxe trabalho para casa.
Está feito.
E o fim de semana foi-se.
Sente-me para descansar às 18h!
E é isto!