Avançar para o conteúdo principal

Drama da depilação masculina...

Dado o enorme sucesso do post anterior aqui, fui procurar a versão masculina da tortura e encontrei esta pérola!
Se o outro estava hilariante, este não fica atrás, muito pelo contrário.
Atenção a todos os asmáticos: mantenham as bombas por perto. (a minha mãe ficou aflita de tanto rir, pensei que lhe dava uma coisinha má!!)



"Estava eu assistindo tv numa tarde de domingo, naquele horário em que não se pode inventar nada o que fazer, pois no outro dia é segunda-feira, quando minha esposa deitou ao meu lado e ficou brincando com minhas “partes”. 

Após alguns minutos ela veio com a seguinte ideia  Por que não depilamos seus ovinhos, assim eu poderia fazer “outras coisas” com eles.
Aquela frase foi igual um sino na minha cabeça. Por alguns segundos fiquei imaginando o que seriam “outras coisas”. Respondi que não, que doeria coisa e tal, mas ela veio com argumentos sobre as novas técnicas de depilação e eu não tive mais como negar. 

Concordei.

Ela me pediu que ficasse pelado enquanto buscaria os equipamentos necessários para tal feito. Fiquei olhando para TV, porém minha mente estava vagando pelas novas sensações que só acordei quando escutei o beep do microondas.
Ela voltou ao quarto com um pote de cera, uma espátula e alguns pedaços de plástico. Achei meio estranho aqueles equipamentos, mas ela estava com um ar de “dona da situação” que deixaria qualquer médico urologista sentindo-se como residente. Fiquei tranquilo e autorizei o restante do processo. 


Pediu para que eu ficasse numa posição de quase-frango-assado e liberasse o aceso a zona do agrião. 
Pegou meus ovinhos como quem pega duas bolinhas de porcelana e começou a passar cera morna. Achei aquela sensação maravilhosa!! O Sr. Pinto já estava todo “pimpão” como quem diz: “sou o próximo da fila”! 
Pelo início, fiquei imaginando quais seriam as “outras coisas” que viriam.

Após estarem completamente besuntados de cera, ela embrulhou ambos no plástico com tanto cuidado que eu achei que iria levá-los para viajem. Fiquei imaginando onde ela teria aprendido essa técnica de prazer: Na Tailândia, na China ou pela Internet mesmo. 


Porém, alguns segundos depois ela esticou o saquinho para um lado e deu um puxão repentino. 
Todas as novas sensações foram trocadas por um sonoro PUTAQUEOPARIU quase falado letra por letra.

Olhei para o plástico para ver se o couro do meu saco não tinha ficado grudado na cera. Ela disse que ainda restaram alguns pelinhos, e que precisava passar de novo. 

Respondi prontamente: – Se depender de mim eles vão ficar aí para a eternidade!!

Segurei o Dr. Esquerdo e o Dr. Direito em minhas respectivas mãos, como quem segura os últimos ovos da mais bela ave amazônica em extinção, e fui para o banheiro. Sentia o coração bater nos ovos. Abri o chuveiro e foi a primeira vez que eu molho o saco antes de molhar a cabeça. Passei alguns minutos só deixando a água escorrer pelo meu corpo.


Saí do banho, mas nesses momentos de dor qualquer homem vira um bebezinho novo: faz merda atrás de merda. Peguei meu gel pós-barba com camomila “que acalma a pele”, enchi as mãos e passei nos ovos. Foi como se tivesse passado molho de pimenta. Sentei na privada, peguei a toalha de rosto e fiquei abanando os ovos como quem abana um boxeador no 10° round. 

Olhei para meu pinto. Ele era tão alegrinho minuto atrás, e estava tão pequeno que mais parecia que eu tinha saído de uma piscina 5 graus abaixo de zero.

Nesse momento minha esposa bate na porta do banheiro e perguntou o que estava acontecendo. Aquela voz antes aveludada ficou igual um carrasco mandando eu entregar o presidente da revolução.
Saí do banheiro e voltei para o quarto. Ela estava argumentando que os pêlos tinham saído pelas raízes, que demorariam voltar a nascer.

 “Pela espessura da pele do meu saco, meus netos irão nascer sem pelos nos ovos”, respondi.
Ela pediu para olhar como estavam. Eu falei para olhar com meio metro de distância e sem tocar em nada!!
Vesti a camiseta e fui dormir (somente de camiseta). Naquele momento sexo para mim seria somente para perpetuar a espécie humana.


No outro dia pela manhã fui me arrumar para ir trabalhar. Os ovos estavam mais calmos, porém mais vermelhos que tomates maduros. Foi estranho sentir o vento bater em lugares nunca antes visitados. Tentei colocar a cueca, mas nada feito. Procurei alguma cueca de veludo e nada. Vesti a calça mais folgada que achei no armário e fui trabalhar sem cueca mesmo.


Entrei na minha secção andando igual um cowboy cagado. Falei bom dia para todos, mas sem olhar nos olhos. E passei o dia inteiro trabalhando em pé com receio de encostar os tomates maduros em qualquer superfície.


Resultado, certas coisas devem ser feitas somente pelas mulheres.
Não adianta tentar misturar os universos masculino e feminino."



Comentários

FashionBox disse…
Lindo!!! Ainda me ri mais deste do que da depilação feminina! :)
MÓNICA disse…
Também eu FashionBox, também eu...

Mensagens populares deste blogue

Adeus... Até um dia...

Lembro-me de ti!
Lembro do teu cheiro, um misto de tabaco com outra coisa qualquer!
Ninguém tinha uma avó fumadora! Eu tinha!
Eras tão engraçada, tão gozona, tão divertida!
Lembro tão bem das tuas gargalhadas, mais parecia que estavas a ficar sem ar,
Lembro de andares pela casa a cantarolar meio a assobiar de um jeito que não consigo imitar,
De fumares com um braço apoiado por baixo das mamas e o outro por cima de maneira à mão com o cigarro estar sempre perto da boca, e o cigarro chegava ao fim com um arco de cinza pegada ao filtro bem equilibrado! Não sei como conseguias...
Lembro de ficares na conversa até de madrugada,
De acordarmos ao meio-dia e fazeres umas batatas meio fritas com ovos, era a melhor coisa do mundo para pequeno almoço,
Ninguém tinha avós a acordar ao meio dia! Eu tinha!
Lembro-me do cheiro a sabonete Fá na casa de banho dos azulejos verdes!
Lembro-me da cozinha enorme antes das obras e de comer presunto à mesa contigo e com o avô!
Lembro-me que me davas nestun …

"Recado" com 20 anos que me fez tão feliz... "As Minhas Super Enfermeiras"

Se há dias em que a nossa vida tem um propósito e que faz todo o sentido, hoje foi esse dia!

Pensares tantas vezes se devias ter seguido esta carreira? Hoje tiveste a resposta que sim, devias mesmo ter seguido esta carreira de enfermeira!
Pensares por vezes se estás a trabalhar no sítio certo? Sim, estás e com muito orgulho em todos os que comigo trabalharam ao longo destes 20 anos!

Pensar que fizeste a diferença na vida de muita gente, a diferença para melhor, ainda que hoje não trabalhes diretamente com os doentes, trabalhas com os profissionais que cuidam desses mesmos doentes e tentas fazer a diferença também na vida deles, apesar de não tão visível e significativa, mas ainda assim necessária.

Hoje recebi uma mensagem de um anjo que tratei há 20 anos!
Mandou-me também a foto de um papel que guarda há 20 anos.
Tem a data de Outubro de 1997, e o título "As Minhas Super Enfermeiras", só por isto já valeu a pena acordar hoje às 6 da manhã para ir para o sítio do costume.
Con…

Sortuda do caraças...

De repouso forçado uma semana!
As dores estúpidas e lacinantes que comecei a sentir no ombro de repente no domingo vieram-se a revelar uma tendinite calcificante e uma ruptura muscular também!
Apesar de tudo tenho uma sorte do caraças e só tenho a agradecer!
Tive a sorte de estar sempre à hora certa no sítio certo. Consegui fazer rx na mesma hora que cheguei ao serviço de radiologia para fazer só a marcação, consegui uma ecografia dum dia para o outro (costuma demorar imenso). Fui encaminhada para um ortopedista especialista em ombro do Hospital da Luz e por coincidência a minha nova companhia de gabinete trabalhou com ele e arranjou-me consulta de ontem para hoje em Oeiras.
Chego ao Hospital da Luz e as cancelas do estacionamento estavam avariadas pelo que não paguei parque de estacionamento e nem precisei de andar às voltas à procura de sítio porque têm parque subterrâneo. Nem apanhei frio, foi só subir o elevador.
Pessoas super atenciosas, tudo bonito, a sala de espera com vista pa…